Universitários utilizam seus conhecimentos para realizar ações gratuitas de saúde


Por: Joice Batista

Cerca de 20 universitários estão levando seu aprendizado para fora do mundo acadêmico e melhorando a vida de quem tem acesso limitado à saúde. O projeto “Atraídos Pelo Bem”, nascido na Universidade Federal do Amapá (Unifap), consiste na realização de ações sociais que fomentam a saúde da população.



Dentre as ações realizadas estão avaliações fisioterapêuticas, cuidados odontológicos, consultas e orientações sobre a saúde, jogos, entre outras atividades. As ações são realizadas através de parcerias entre os cursos da universidade e outras instituições de ensino. Os serviços dependem desses parceiros, pois tudo é realizado de forma voluntária.

“Nós somos pessoas atraídas por fazer o bem à comunidade. É algo bom para quem recebe e também para quem está aqui dentro (da universidade). O projeto não vai trazer nenhum benefício aqui em torno da universidade, mas não tem preço receber um elogio e saber que a gente contribuiu naquele dia, que a gente fez a nossa parte. Eu faço isso de coração e eu gosto do que eu faço. Por isso que eu pretendo batalhar muito para levar esse projeto à frente”, afirmou Letícia Carla Ribeiro Rodrigues, idealizadora do “Atraídos Pelo Bem”.



O projeto
A iniciativa foi criada há poucos meses por Letícia Ribeiro, de 20 anos, uma estudante de fisioterapia engajada em ações sociais desde o seu Ensino Médio. Na universidade, ela propôs atender crianças quilombolas através das práticas fisioterapêuticas aplicadas de forma lúdica, mas a iniciativa foi tomando proporções maiores e agora pretende alcançar outros públicos.

A primeira atuação do projeto ocorreu no último dia 12, em comemoração ao Dia das Crianças. No evento, os pequenos moradores do Quilombo do Curiaú realizaram atividades fisioterapêuticas de forma lúdica, cuidando da saúde através da brincadeira. A segunda mobilização já começou a ser planejada. A expectativa é que os idosos sejam os próximos contemplados.



Para o futuro, estima-se ainda que o “Atraídos Pelo Bem” seja transformado em um projeto de extensão da universidade, garantindo assim, ações contínuas.

Voluntariado
Como todo projeto independente, o “Atraídos Pelo Bem” está de portas abertas para todo tipo de ajuda.

Rafael Oliveira Aleixo, de 24 anos, não é da área da saúde, mas ainda assim está empenhado em fazer o bem pelo próximo. “Desde que eu entrei aqui na universidade, o que aparece, eu participo porque eu gosto muito de trabalhar nesse tipo de atividade. A Letícia, que é minha amiga, me fez o convite. Eu fui para tirar foto e acabei me envolvendo com o ambiente e tudo. Quando eu vi, estava servindo lanche e ajudando nas brincadeiras”, contou o estudante de jornalismo.

“O voluntariado é isso. É você estar disposto a fazer o bem para o outro. Não vai ter recompensa por isso, a não ser a gratidão, a alegria que você vai sentir de estar ali. A gente tem uma série de ideias e estamos buscando os voluntários para que possamos realiza-las”, completou Nelma Nunes da Silva, de 41 anos, fisioterapeuta e professora que também faz parte da iniciativa.


Quem se interessar em contribuir com as ações ou em ser voluntário do “Atraídos Pelo Bem”, pode procurar a criadora do projeto, Letícia Rodrigues, no prédio do curso de fisioterapia da Unifap ou através do telefone (96) 99178-3474.


Tecnologia do Blogger.