Projeto social luta para continuar sonhando com o futuro



Por Joyce Batista

Os quase 200 alunos atendidos pelo projeto social “Nascidos para vencer, desistir jamais”, da Academia Bruno Igreja, dependem da solidariedade dos amapaenses para continuarem sonhando com um futuro no taekwondo, longe das mazelas sociais que assolam os bairros periféricos de Macapá.  O projeto está somando esforços para custear adequações físicas em sua sede, localizada na zona sul da capital, estabelecidas em um acordo judicial com um vizinho, que alegou perturbação de sossego.  



As aulas que sempre ocorreram em um espaço adaptado agora acontecem com um futuro incerto, pois até o início de janeiro de 2019, o projeto deve começar a fazer o revestimento acústico, inserir calhas no telhado e climatizar o espaço, totalizando um custo de R$ 30 mil. Caso a reforma não inicie no prazo estabelecido, a academia marcada por grandes conquistas como participação em competições nacionais e internacionais e a histórica classificatória olímpica de Venilton Teixeira nas Olimpíadas do Rio, em 2016, corre o risco de fechar as portas.



Tristeza

Wallace Bruno Lobato da Igreja, mais conhecido como Bruno Igreja, de 28 anos, é educador físico e professor de taekwondo. Em 28 de janeiro de 2011, ele fundou sua própria academia e abriu as portas para crianças e adolescentes da comunidade de forma gratuita. Agora, Bruno está apreensivo porque o futuro de uma de suas maiores conquistas está ameaçado, podendo prejudicar toda a comunidade que é beneficiada com o projeto.



“Eu vejo isso com uma tremenda tristeza porque é comprovado que o índice de criminalidade no nosso bairro diminuiu depois que nós implementamos o projeto. A gente gerou oportunidades para as pessoas aqui da comunidade com as aulas e as ações sociais. Então, é um papel muito importante que a gente presta para a sociedade. Nenhuma criança quer parar de treinar, nenhum pai quer ver seus filhos nas ruas com tempo ocioso quando eles podiam estar aqui [na academia] praticando uma modalidade do bem. Nenhum pai também quer que nossas ações sociais se encerrem”, disse.


Assim como Bruno, os alunos desejam que as aulas continuem. “Quando eu soube do risco que a gente corria, me deu uma tristeza muito grande porque a gente ama fazer isso aqui e nós não temos todo esse dinheiro”, contou Cíntia Soares Cardoso, de 16 anos, aluna do projeto, representante feminina titular da seleção brasileira e primeira mulher amapaense a compor a equipe nacional de taekwondo.

Ainda há esperança
Para que o projeto que vem transformando vidas há quase oito anos não acabe, uma campanha de arrecadação está sendo realizada, através de doações, venda de rifas e roupas, além de programações culturais na comunidade.

O empenho e a solidariedade resultaram em um montante de R$ 14 mil, quase metade do valor necessário. Ainda assim, há muito a se arrecadar em pouco tempo e a luta por esse sonho não para.
“Nós somos sonhadores. Todos os dias a gente acorda sonhando e muitos dos nossos sonhos se realizaram, afinal de contas foi assim que esse projeto surgiu e foi assim que nós conseguimos chegar aos Jogos Olímpicos Rio 2016, sendo representante do Amapá no maior evento esportivo do planeta. Então, eu acredito que vamos conquistar mais essa vitória também”, falou Bruno Igreja.


Como ajudar?
Existem três maneiras de ajudar a manter as portas abertas. A primeira é contribuir através da vaquinha online no endereço eletrônico: bit.ly/2KeWqyA. Também é possível ajudar comprando uma rifa do projeto, com direito a concorrer a 12 grandes prêmios. Além disso, há a opção de transferência bancária: Banco do Brasil - Agência: 3851-2, Conta Corrente: 26.129-1, CNPJ: 14.026.451/0001-02, Titular: Clube de Taekwondo Bruno Igreja.




Outras informações ainda podem ser adquiridas através do telefone (96) 98127-1257 ou na sede da instituição, localizada na Rua Mercúrio, 1006 – Jardim Marco Zero.


Tecnologia do Blogger.