Macapaense vende chopp e distribui bom humor em prol do esporte

Por: Joice Batista




Com um sorriso que parece não sair do rosto, João Batista, de 31 anos, anda todos os dias pelas ruas, escolas e coletivos da capital amapaense vendendo chopp, também conhecido em outras regiões do país como geladinho, gelinho, sacolé e tantos outros nomes. Toda a renda que João consegue é investida no Karatê, esporte que já lhe rendeu algumas medalhas e pretende ajudar outros jovens.

Há sete anos como vendedor ambulante, João chama a atenção por seu “plano de marketing” que combina simpatia, piadas sempre na ponta da língua e frases divertidas coladas na cuba de isopor, onde os chopps ficam armazenados. Para ele, o segredo do sucesso é ser feliz fazendo o que se gosta.

“Hoje a pessoa que for trabalhar com vendas precisa ser humorista, tem que estar sorrindo. Se a pessoa não for alegre, ela nunca vai se dar bem em nada. O mercado (de vendas informais) aqui em Macapá é muito grande, e o diferencial da gente é ser engraçado e ter ideias próprias”, explica João.



Recentemente, o vendedor ficou ainda mais conhecido após publicarem sua foto no Facebook. Na internet, João foi bastante elogiado pelo seu trabalho irreverente. Ele diz que a postagem funcionou como uma propaganda do seu trabalho e alavancou suas vendas.

“Agora, depois que tiraram minhas fotos dentro do ônibus e colocaram no Facebook, aumentou muito minhas vendas. Onde eu passo todo mundo me chama, todo mundo me conhece por causa das fotos”, comenta João sobre o sucesso.

Segundo ele, as frases e as piadas sempre são renovadas de acordo com a sua criatividade e os assuntos de maior sucesso entre os macapaenses.



Além de vendar chopps, João ainda trabalha nas horas extras como sapateiro, garçom e na área de serviços gerais. Ele conta que o dinheiro ganho com essas atividades é destinado à paixão pelo esporte, com o objetivo de concretizar um projeto pessoal, mas com ganho coletivo.


“Eu trabalho ‘pra’ isso, ‘pra’ estar investindo no esporte que eu pratico [...]. Eu ‘tô’ investindo no Karatê porque futuramente eu posso dar aula, ajudando outros jovens a seguir o caminho correto da vida, a praticar um esporte. Essa é a minha meta aqui no estado do Amapá”, diz.

A dedicação pelo esporte já lhe rendeu mais de 10 medalhas na arte marcial. Como uma de suas paixões, as competições de Karatê quase sempre ganham a participação de João.



Carreira
Morador do bairro Santa Inês, João se tornou vendedor ambulante em 2011, quando estudava na Universidade Federal do Amapá (Unifap), local onde se tornou bacharel em Geografia. Na época, vender picolé gigante dentro da universidade foi a forma que ele encontrou de ter uma renda e conseguir conciliar trabalho e estudo.
Apesar de gostar da vida de vendedor ambulante e ser bem sucedido na área, ele conta que estuda para passar em concursos públicos, visando ter mais estabilidade financeira e profissional.
Outro plano de João se concentra na área da educação. Ele pensa em cursar administração, para quem sabe no futuro ter o próprio negócio. E quase que sem dúvidas, esse negócio será relacionado às vendas, é claro!

Tecnologia do Blogger.