Amapaense semeia paixão pela leitura há 10 anos Brasil afora

Por: Joice Batista


Um amapaense apaixonado por livros, consciente da importância e do poder da leitura, promove o acesso a essa riqueza cultural em comunidades quilombolas, indígenas e ribeirinhas há 10 anos. Para comemorar esse aniversário, uma programação foi preparada para este fim de semana em Macapá.

A Biblioteca Itinerante Barca das Letras foi criada em 2008 por Jonas dos Santos Banhos Junior, que decidiu colocar em prática o seu desejo de contribuir para o bem comum, usando algo que ele via como importante e que poderia mudar a vida das pessoas. Foi então que ele escolheu uma de suas paixões: os livros.


 “Eu escolhi fazer esse trabalho voluntário, porque a leitura liberta. Quanto mais as pessoas embarcarem no mundo mágico da leitura, mais elas vão poder participar ativamente da vida comunitária e coletiva, e também buscar esse bem comum: da gente viver em uma sociedade melhor, mais justa, mais humana e solidária, e com mais justiça social”, afirmou Jonas, com bastante orgulho.

O projeto tem como público-alvo crianças e adolescentes, e disponibiliza livros, gibis e histórias literárias arrecadadas durante todo ano, e distribuídas em diversos eventos. Apesar de não ter um polo fixo, a iniciativa conta com a ajuda de 15 voluntários que fazem a biblioteca funcionar e rodar todo o Brasil.



Comemoração
Neste sábado (26), Macapá recebe a primeira visita do ano. Entre 9h e 12h, pessoas de todas as idades podem comparecer na sede da Associação de Mulheres Ribeirinhas e Vítimas de Escalpelamento da Amazônia, localizada na Praça Zagury, 279, bairro Perpétuo Socorro.

Na ocasião, além da distribuição de livros e gibis, o aniversário do projeto conta com rodas de leitura e exposição fotográfica de ações anteriores da Biblioteca Barca das Letras.

Em cada visita, estima-se que compareçam entre 30 e 400 pessoas, somando cerca de 12 mil participantes em mais de 200 ocupações lúdicas em 10 anos. Ainda assim, não há como estimar o número total de beneficiados, pois cada livro doado pode chegar às mãos de diversas outras pessoas.


Jonas afirma que é um prazer ser criador da Biblioteca Barca das Letras, e ver que o projeto não parou ao longo do tempo. “É emocionante! Sinto-me muito feliz em ver o resultado nestes 10 anos de projeto. Junto dos voluntários, doadores e parceiros, temos contribuído positivamente com a infância e o desenvolvimento de muitas crianças”.

A próxima visita ao Amapá também já está marcada. Será no mês de outubro, em comemoração ao Dia das Crianças e o Dia Nacional da Leitura, ambos celebrados no dia 12.


Doe para o Barca das Letras
Apesar de já estar consolidada, a biblioteca itinerante está sempre precisando de novas doações. Por isso, você que gostou da ideia e tem livros, gibis, HQs e mangás, pode ajudar no desenvolvimento de inúmeras crianças brasileiras.
Para fazer a doação ou se candidatar ao voluntariado, é preciso entrar em contato com o projeto ou comparecer em um de seus eventos.

Os interessados em conhecer e doar para o Barca das letras podem ligar para os telefones (61) 98355-7232 (Jonas Banhos – idealizador e voluntário) ou (96) 991187219 (Rita de Cássia – voluntária no Amapá). Um site também agrupa diversas informações do projeto, no www.barcadasletras.blogspot.com.br, além do perfil facebook.com/barca.dasletras.

Uma recente aprovação da iniciativa na Lei Rouanet também possibilita outra forma de contribuir. Além de empresas, pessoas físicas que declaram Imposto de Renda podem destinar ao projeto, até 6% do tributo pagos. Esses mesmos doadores podem pedir a restituição do valor na declaração do ano seguinte.


Tecnologia do Blogger.